AIDS no Brasil: O que é, sintomas, tratamento e prevenção

AIDS no Brasil: O que é, sintomas, tratamento e prevenção

Cadastre-se gratuitamente em nossa lista de leitores e seja notificado com exclusividade a cada novo post ou material publicado.

 

No ano de 2019, no Brasil, mais de 41 mil novos casos foram diagnosticados de HIV e mais de 37 mil novos casos de AIDS.

Por mais que estes números pareçam expressivos, o Brasil tem registrado queda no número de casos de infecção por AIDS nos últimos anos.

Os jovens são a maioria entre os novos casos de AIDS no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, jovens de 25 a 39 anos, de ambos os sexos (52,4% são homens e 48,4% são do sexo feminino). 

O dia 1º de dezembro é o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS, síndrome da imunodeficiência adquirida (aids, na sigla em inglês), que é uma doença infectocontagiosa atualmente ainda sem cura, causada pelo vírus HIV.

Hoje você entenderá um pouco mais sobre esta doença, confira o que vem por aí:

Sem mais delongas, vamos ao que interessa. 

 

O que é a AIDS

A Aids é uma doença crônica causada pelo vírus HIV, este vírus é capaz de deixar o sistema imunológico muito debilitado, interferindo na capacidade em que nosso organismo possui para tratar infecções.

Com as funções do nosso organismo habilitadas, fica mais fácil de contrairmos doenças como tuberculose, pneumocistosa, neurotoxoplasmose, e diversas outras.

Em inglês a sigla “AIDS” significa “acquired immunodeficiency syndrome”, ou seja síndrome da imunodeficiência adquirida.

Contrair esta doença pode ser a porta de entrada para alguns tipos de câncer, como sarcoma de Kaposi e linfoma, sem contar também que a AIDS pode provocar perda de peso e diarreia.

Não existe uma cura específica para esta doença, mas ainda assim existem tratamentos retrovirais, que são capazes de aumentar a expectativa de vida do indivíduo portador da AIDS.

A AIDS continua sendo um dos maiores desafios da saúde pública no mundo, especialmente nos países mais pobres.

Diferença entre HIV e AIDS

Existe uma confusão quando se fala no vírus HIV e na AIDS, muitas pessoas não sabem a diferença entre os dois. 

A verdade é que HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana (human immunodeficiency virus).

A AIDS por sua vez, é a doença, que é causada pelo vírus HIV. Ela acontece quando a infecção por este vírus está em seu estágio mais avançado. 

O vírus HIV é transmitido principalmente através de relações sexuais, através do contato com o sangue infectado. Também pode ser transmitido de uma mulher portadora do vírus, para o filho durante a gravidez, parto ou amamentação.

AIDS no Brasil

Atualmente no Brasil cerca de 920 mil pessoas vivem com HIV

Destas pessoas, 89% foram diagnosticadas, 77% fazem tratamento com antirretroviral e 94% das pessoas em tratamento não transmitem o HIV por via sexual, por terem atingido carga viral indetectável. 

O número de pessoas em tratamento aumentou, foram cerca de 642 mil pessoas em outubro de 2019, enquanto em 2018 por exemplo, eram 593.594 pessoas em tratamento.

Estes dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde (MS), em seu Boletim Epidemiológico HIV/Aids 2020.

Embora tenha havido uma queda do número de casos nos últimos anos, teve também um aumento de 21,7% na taxa de detecção de HIV em gestantes, onde as pessoas mais atingidas são jovens.

Em 2019 foram identificadas 8.312 gestantes infectadas com HIV no Brasil27,6% está entre jovens de 20 a 24 anos. 

 

Fatores de risco da AIDS

Já sabemos que para contrair a AIDS é necessário que uma pessoa seja contaminada pelo vírus HIV.

Todos nós estamos sujeitos a contrair o vírus HIV, uma vez que a doença não escolhe cor de pele, idade, gênero ou preferências sexuais. Mas existem alguns comportamentos que podem agravar a contaminação deste vírus, por exemplo: 

  • Relação sexual com pessoa infectada sem o uso de preservativos
  • Reutilização de objetos perfurocortantes com presença de sangue ou fluidos contaminados pelo HIV
  • Compartilhamento de seringas e agulhas, principalmente no uso de drogas injetáveis
Vale ressaltar que as mulheres que estiverem infectadas pelo vírus HIV, e queiram engravidar, também precisam tomar as devidas providências com acompanhamento médico.

Sintomas de AIDS, tratamento e prevenção

Os sintomas mais comuns que pessoas com AIDS podem apresentar incluem:

  • Emagrecimento não intencional
  • Fadiga
  • Aumento dos linfonodos, ou ínguas
  • Sudorese noturna
  • Calafrios
  • Febre superior a 38ºC durante várias semanas
  • Diarreia crônica
  • Manchas brancas ou lesões incomuns na língua ou boca
  • Dor de cabeça
  • Fadiga persistente e inexplicável
  • Visão turva e/ou distorcida
  • Erupções cutâneas e/ou inchaços

É válido lembrar que existem diferentes fases para esta doença, e em cada uma destas fases os sintomas podem variar e até mesmo se agravarem. 

Nem todas as pessoas infectadas pelo HIV apresentam sintomas. É por isto que é altamente recomendado que as pessoas façam os devidos testes com acompanhamento médico, principalmente aquelas com vida sexual ativa. 

O SUS no Brasil disponibiliza os testes rápidos para HIV, realizados a partir da coleta de sangue ou saliva, e também disponibiliza exames para hepatites B, C e sífilis

Quando você ir em uma consulta médica para realizar um diagnóstico, o profissional irá analisar a condição geral da saúde do paciente.

Em caso de HIV, o médico analisará a evolução da doença, juntamente da resposta aos tratamentos e a presença de doenças oportunistas.

Tempos atrás era horrível receber a notícia de que a pessoa estava infectada por HIV, afinal praticamente estaria declarando a sentença de morte deste indivíduo. 

Mas hoje, apesar da doença ainda não possuir uma cura, a AIDS pode ser tratada com medicamentos antirretrovirais, estes aumentam a sobrevida soropositivos, e permitem que o paciente tenha uma expectativa de vida maior e também uma melhor qualidade de vida.

A pessoa porém precisa realizar o tratamento de forma adequada e com acompanhamento médico, senão pode acabar tornando o vírus mais resistente ainda, dificultando o tratamento e prejudicando a sua saúde no geral.

Evitar os principais fatores de risco, já mencionados aqui anteriormente, é a principal forma de prevenção contra o vírus HIV, e consequentemente a AIDS.

Por hoje ficamos por aqui, forte abraço e até a próxima.

 

Não vá embora ainda...

Conte para nós o que você achou deste conteúdo

Cadastre-se gratuitamente em nossa lista de leitores e seja notificado com exclusividade a cada novo post ou material publicado.

WhatsApp chat